Communitas | Último Tipo

Rio que passa lá

E se um dia o rio Tietê começasse a falar? O que ele diria? Explicaria porque resolveu ir pelo interior afora ao invés de ir para o mar como os outros rios? Reclamaria de como anda doente em algumas cidades e saudável em outras? Ou contaria muitas de suas histórias, como aquelas vividas por homens em busca de ouro? Contaria algumas histórias terríveis, outras assustadoras?

Sim, falaria disso e muito mais, pois esse rio é um viajante que tudo vê e tudo sente. Está aqui e está lá ao mesmo tempo e tem assunto que não acaba mais. Neste espetáculo, o rio toma a forma de um viajante para falar com o homem de igual para igual. E junto com outros personagens, deixa claro, por fim, sua fundamental importância no ecossistema.

E para alegrar, essa fábula é salpicada por festas, tradições, danças típicas, músicas e elementos do folclore de várias cidades que são banhadas pelo rio Tietê, como o samba-lenço, a catira, o cururu e o fandango.

A música do espetáculo foi composta a partir dos ritmos tradicionais do estado de São Paulo, sobretudo a moda de viola e o samba-lenço, sem deixar de prestigiar ritmos universais, como o reggae, ou brasileiríssimos, como o frevo e o choro. Tudo isso dialogando em alguns momentos com a música eletrônica. As canções são todas executadas ao vivo, porém, em uma experiência inédita para o grupo Último Tipo, durante alguns momentos do espetáculo são usadas trilhas gravadas. Todas as músicas são autorais e inéditas.

A produção de materiais de cena, cenário e figurinos, como em todos os outros trabalhos do grupo, foi feita com materiais descartados, prezando a reciclagem e o reaproveitamento.

Trajetória

“Rio que passa lá” foi montado em 2014 com recursos oriundos do PROAC-ICMS –Programa de Ação Cultural da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo e circulou por mais de 50 cidades do estado desde então, totalizando 177 apresentações até o momento.

Participou de três edições da Campanha de Popularização do Teatro de Campinas. Em três edições do “Projeto Teatro Nas Escolas”, da produtora “Direção Cultura”, percorreu escolas públicas e ONGs da capital, foi apresentado no Theatro Muinicipal de Paulínia para boa parte da rede municipal de educação da cidade e em 2019 foi foi a vez das escolas municipais de Campinas. Dentre outros eventos dos quais participou em 2017 estão a “Virada Sustentável” em Campinas, “Mostra o Teatro para Sua Criança” no CIS Guanabara Unicamp, Sociedade Hípica de Campinas e SESC Vila Mariana. Em 2018 o espetáculo foi selecionado para a programação do “Território SESI-SP de Arte e Cultura” e se apresentou no SESI Sumaré. Participou ainda do DBA-Dia das Boas Ações, que acontece no Parque do Ibirapuera em São Paulo e projeto Cultura Ensina (FDE) apresentando nas cidades de Ibitinga, Bauru, Tanabi e Assis e das programações de férias da “Casa das Artes”, e “Sala dos Toninhos”.  Na Mostra de Férias do “Centro Cultural Casarão” de julho/2019, em Campinas, realizou a sua mais recente apresentação.

Atingiu uma média de 44.000 expectadores no total. Junto com o espetáculo foi lançado um livro com a história, do qual foram distribuídos 19.000 exemplares. Em junho disponibilizou nas plataformas digitais Deezer, Spotify e Youtube o álbum com a trilha sonora do espetáculo. Dentre as empresas que patrocinaram o projeto estão a Man Filter, Syngenta e Cocipa, ViaQuatro, BMG e UNIMED Campinas.

 

Video

Duração: 50 minutos

Ficha Técnica

Texto: Velu Carvalho
Direção: Déo Piti
Direção de Atores: Newton Murce
Preparação Corporal: Renata Oliveira
Figurinos: Déo Piti
Cenário: Último Tipo
Projeto de Iluminação: André Salvador
Música: Déo Piti e Jara Carvalho
Gravações: Théo e Anselmo Carvalho – Estúdio PH Mix